Chama no Full On – A Psycodelicos está de volta!

Com a chegada da edição temática da Psycodélicos no dia 29 de Junho de 2019 (saiba mais sobre o Arraiá Psycodelico através do evento oficial no Facebook) que tal relembrarmos como foi a incrível edição especial de 2018?

Hoje contarei pra vocês como foi a melhor festa de Full On do ano passado!

Foto por Mushpics Fotografia.

O evento foi realizado nos dias 04 e 05 de Agosto de 2018 e foi simplesmente extraordinário!

Foto aérea (autor desconhecido).

I) LOCAÇÃO ESPLÊNDIDA

O local inédito escolhido para a edição de 03 anos da Psycodelicos foi a Estância Ilha Verde situada na cidade de Campo Largo/PR. A estância é um paraíso às margens de uma represa, com uma linda floresta nativa!

Lago. Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

O Main Floor foi projetado para que o plano de fundo da pista fosse um belíssimo lago!

Foto por Adhara Fotografia.

1) ESPAÇOS / STAGES

A estrutura da festa contou com vinte horas de música eletrônica no Main Floor além do espaço zen (beija-flor), espaço cultural/ambiental, área de camping, feira mix, praça de alimentação e redução de danos.

1.1- MAIN FLOOR

ESTRUTURA

Na infraestrutura, o palco e a tenda do stage principal foram montados pela equipe Arte Beta com o auxílio Léo dos irmãos Moira e do Nando Teixeira, ao passo que o sistema de som, iluminação e toda parte elétrica foram realizados pela S.I.D.E.

A decoração foi criada com o auxílio do Movimento Arte Vibe Trip que trabalhou com reutilização de materiais recicláveis e fluorescentes. Havia um lindo portal elaborado com string art no caminho para o Main Floor.

Portal. Foto por Mushpics Fotografia.

Foto por Mushpics Fotografia.

O palco ficou super legal, conseguiram recriar em tamanho gigante a mandala logotipo da crew. Além disso, as figuras geometrias ao redor da mandala resultaram numa composição vibrante mesclando a psicodelia aos tons neon.

palco e decoração para o Léo da irmãos Moira decoração

Palco principal. Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

Main floor. Foto por Mushpics Fotografia.

Durante a madrugada era possível se esquentar na fogueira que a crew preparou. Esse tipo de detalhe mostrou o quanto a produção pensa no conforto do seu público!

Fogueira. Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

 Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

Haviam enormes mandalas coloridas decorando a pista principal que foram feitas pela talentosa artesã Ana Carolina Gava.

Mandalas decorando a pista principal. Foto por Ishimaru Fotos.

 

APRESENTAÇÕES E INTERVENÇÕES

A abertura da festa foi realizada pelo produtor Michael Wesley do projeto Rastafire que abriu o line-up com um Full On eletrizante de muita qualidade lançando algumas de suas tracks novas na apresentação. O evento não poderia ter começado de uma forma melhor!

Michael Wesley a.K.a Rastafire Live. Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.
Vale super a pena dar o play no set aqui.

 

Na sequência, rolou o projeto Atary formado por Charles Lima que também está por trás do projeto Merkurio e Jonatan Damião idealizador da festa Trancedencya. A dupla mandou um Full On Grove repleto de basslines dançantes.

Atary. Foto por Mushpics Fotografia.

Adentrando a madrugada, tivemos dois projetos de Full On Groove, quais sejam, Silva e Housedown, que não decepcionaram e animaram a pista.

Silva. Foto por Mushpics Fotografia

Housedown. Foto por Mushpics Fotografia.

Durante a madrugada tivemos a apresentação de pirofagia do grupo Ignis Tribe

Pirofagia. Foto por Mushpics Fotografia.

Pirofagia. Foto por Mushpics Fotografia.

 

Na sequência, os BPM’s aumentaram através das apresentações de Full On Night do projeto Quantiks Live  e de Hitech do Dulio.

Segue um trechinho da apresentação de Quantiks aqui.

Encerrando a madrugada, tivemos dois projetos de Full On, quais sejam, Starting Up Live idealizado pelo produtor Gabriel Mello, seguido por TiticowAqui podem ver um vídeo da apresentação de Titicow.

Titicow. Foto por Mushpics Fotografia.

Na alvorada, fomos agraciados pelo set do fabuloso Gout que mescla Goa e Nitzhonot como ninguém usando excelentes técnicas de mixagem! A pista vibrou com as melodias através da energia e presença de palco do artista.

Gout. Foto por Adhara Fotografia.

Nesse vídeo é possível ver que eu não estou exagerando quando falo acerca da performance desse DJ no palco.

Foto por Mushpics Fotografia.

 Foto por Ishimaru Fotos.

No amanhecer, foi a vez do projeto Sat  dar continuidade ao Goa Trance dando boas-vindas a um domingo que jamais será esquecido por todos que lá estavam.

Sat. Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.


Após o set do Sat, tivemos a intervenção artística do projeto de dança tribal
Wakanda que foi espetacular como sempre!

A artista traduziu uma representação sobre a concepção do bem e do mal, focada neste tabu que existiu por muitos séculos e que hoje, muitas vezes, é relembrado sobre a mulher e o mal, o homem e o bem.

Essa concepção é um dos tantos motivos pelos quais a mulher foi colocada como o mal da sociedade durante séculos e ainda é, até hoje, em muitas ocasiões na nossa sociedade patriarcal, criando diversos tabus ao redor de como ela é ou deve agir.

“Tudo que separa o indivíduo do rebanho. Tudo aquilo que assusta ao próximo, será designado como o mal.” (Nietzsche)

Wakanda. Foto por Mushpics Fotografia.

Na sequência, tivemos as incríveis duas horas de Tropical Bleyage, principal headliner do evento, que tocou um set simplesmente mágico!

Era a primeira vez em que o sérvio pisava em terras brasileiras e as melodias inigualáveis de suas produções ecoaram pela estância encantando a todos que lá estavam.

Tropical Bleyage. Foto por Fernando Franco.

Foi super legal ver a interação do artista com seus fãs, era claramente nítida a alegria dele!

Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

A gravadora Dacru Records postou uma compilação de videos da apresentação em seu canal oficial e é possível ver a minha pessoa emocionada no front do começo ao fim! kkkkkk

https://www.youtube.com/watch?v=a5gVt6DOZBE

Foto por Mushpics Fotografia.

Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

Após, tivemos o set do Milber que preparou um tributo a consagrada dupla GMS. Dois meses antes do evento, tivemos a perda do integrante Bansi que faleceu vítima de câncer. Nada mais justo do que uma homenagem a esse artista que deixou um importante legado para a música eletrônica! Foi impossível não se emocionar ouvindo as músicas que marcaram uma geração!

Milber e Tropical Bleyage. Foto por Fernando Franco.

Milber. Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

Assim que o Dj começou a tocar, a equipe da Psyart prendeu no palco uma faixa para homenagear Bansi. Bem legal!

Foto por Ishimaru Fotos.

 

Confiram um trecho da track Enjoy the Silence, tida para muitos como um hino do Full On Morning. O Dj publicou o tributo em seu Soundcloud.

Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

 

Na sequência tivemos o live da dupla Ganjasonic, projeto consagrado na época de ouro do Full On Morning e criador da famosa track do Bob Esponja. Após dez anos, eles retornaram ao palco na Psycodelicos. Nostalgia que dá gosto!

Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

 

É possível ouvir a apresentação completa nesse link.

Após, rolou a apresentação do belga Digicult que foi simplesmente fantástica! Foi a melhor apresentação de Full On Morning da minha vida! Não consegui sair do front por um segundo sequer, fechei os olhos e embarguei em uma intensa viagem imersa em psicodelia e muita melodia. Foi a primeira vez do artista em terras paranaenses e ao meu ver o live não poderia ter sido mais impactante!

Digicult. Foto por Mushpics Fotografia.

Para quem ainda não conhece o trabalho do artista, recomendo o álbum Soul Samadhi (disponível nesse link) que é uma obra prima! Escuto várias vezes por semana, vale a pena!

Eu curtindo Digicult (Cropped Gaiah Free Hand). Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

 

Na sequência tivemos o set da dupla Gdeom com uma pegada de Morning bem dançante e logo depois a dupla Sanity Breakers que fez uma transição do Full On ao Prog, mesclando Groove e Morning de uma forma super dinâmica e envolvente!

Gdeom. Foto por Ishimaru Fotos.

Gravei um trecho do Sanity tocando a belíssima Inner Bright do Timelock.

Já no fim da tarde, tivemos o casal Amisha vs CMD tocando Prog e fechando com chave de ouro tivemos o Jhou idealizador do nosso querido festival Terra Azul mandando um Progressive Oldschool que nos remeteu a gloriosa época em que o Prog Trance era levado a sério!

Jhou. Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

 

1.2 –  ESPAÇO BEIJA FLOR (ZEN)

O stage estava situado próximo ao lago em um ambiente propício ao relaxamento físico e espiritual.

Era possível receber Reiki Xamânico com a terapeuta Talwane Silveira, Reiki com Matheus David e Auriculoterapia (acupuntura auricular) com Marcia Toledo.

Aplicação de Reiki. Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

 

Também rolou massagem xamânica, deeksha (Coletivo aldeia dourada), leitura de cartas, vivênvias de sincronário da paz ministrada por Paola Chain, psicodelia dos chackras e oficina de slackline com João Ubaldo.

 

3 – ESPAÇO CULTURAL E AMBIENTAL

No stage tivemos uma oficina de compostagem com a equipe Montanheros formada por Edmilson Fonseca, Andrei Kaminski e Jackson Douglas juntamente com o Coletivo Ambiente Livre formado por João Herrera, Wainer Borges, André Siqueira e Mauricio Gikoski.

Primeiramente eles organizaram uma roda de conversa para contextualizar a importância de realizar a compostagem dos resíduos orgânicos domiciliares para após demonstrar a montagem de uma composteira caseira e o manejo adequado (o que pode e o que não pode ser compostado, manutenção, tempo para o composto ficar pronto, etc).

E por fim rolou o plantio de mudas nativas (araucárias).

Nesse espaço tambem rolou o Spiral Trip, um Workshop de Dança ministrado por Isa Arruda, Caroline Borcate e Maria Wendtt no qual elas ensinaram técnicas para chegar a uma movimentação corporal mais consciente, despertando maior reconhecimento consciente de si através da Dança, através da criatividade e das possibilidades de movimento.

Spiral Trip – Workshop de Dança. Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

 

4 – FEIRA MIX

O espaço contou com a participação de Hempsy, Gaiah Free Hand, Alucinarium, Fractal Om, Hamesh Cosméticos e da tabacaria Soma Headshop.

Foto por Ishimaru Fotos.

 

Além dos stands, era possível tatuar Flash tattoos com o tatuador Diego Guimarães.

Algo que eu achei super legal foi a viabilidade de ter uma foto tirada no próprio evento e ainda com um porta retrato personalizado. O projeto de fotografia foi idealizado por Marcelo Kouto.

Foto por Marcelo Kouto

5. REDUÇÃO DE DANOS

O projeto “Redução de danos – Informação e saúde” criado por Gabriel Mello estava presente no evento, fornecendo informações sobre o uso consciente das substancias entorpecentes e oferecendo testes gratuitos acerca da composição química das mesmas.

 

6. BAR E PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO

A água foi oferecida de forma gratuita (amei!!), os preços das bebidas no bar estavam justíssimos e os atendentes simpáticos e solícitos a todo momento!

Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

 

Para matar a fome, havia o hamburguer artesanal com batata frita da Psycofoods, crepe francês da Sabores da Bruxaria, cachorro quente da Pankdog, pastel do rasta, além de sanduiche natural, salada de fruta, açaí e brigadeiro da Natural Ganjiare.

 

7- BANHEIROS

Sem sombra de dúvidas, o banheiro feminino dessa festa merece ser destacado!

Viviane Ferreira preparou algo que eu nunca tinha visto. Na pia do banheiro havia diversos produtos disponíveis para as manas, tais como absorvente, band-aid, laços para o cabelo, cotonete, algodão, álcool em gel, sabonete liquido e desodorante. Muito especial esse cuidado com o publico feminino, adorei!

 

3) COLETIVO FOTOGRÁFICO

 

  1. Rodrigo Gomes Fotografia
  2. Ishimaru Fotos
  3. Adhara Fotografia
  4. Mushpics fotografia

 

4) CONSIDERAÇÕES FINAIS

A festa demonstrou preocupação com seu público do início ao fim, inclusive foi disponibilizado um motorista do aplicativo Uber para auxiliar no transporte das pessoas.

Um evento que indiscutivelmente fez com que os presentes sentissem a real essência do Trance.

Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

 

Após a Psycodelicos posso afirmar com toda certeza que não consigo me cansar do Full On pois mesmo após muitas horas seguidas escutando a vertente eu ainda escutaria por horas a fio kkkkkk

Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

 

Confiram o Aftermovie oficial produzido por Pedro Yuri (Prainha Filmes):

VIVA O FULL ON, VIVA A PSYCODELICOS!

Por festas assim, ainda tenho fé na cena Trance!

Nos vemos no Arraia Psycodelicos dia 29 de Junho com decoração temática junina, fogueira, comidas tipicas, espaço kids, feira mix, oficina de malabares, teatro de bonecos, apresentação circense, workshop de dança e piroFagia.

Douglas Behrend, idealizador da Crew Psycodelicos. Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

Eu com Tropical Bleyage e Digicult. Fotos: Acervo pessoal

Foto por Adhara Fotografia.

Foto por Rodrigo Gomes Fotografia

Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

Foto por Ishimaru Fotos.

Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

Foto por Rodrigo Gomes Fotografia.

Deixe um comentário

Please Login to comment
  Subscribe  
Notify of