Olhares sobre o Terra Azul 2018

Hoje tenho a imensa honra e satisfação em relatar com detalhes como foi o melhor festival da minha vida! Bora embarcar em uma jornada completa por dentro da incrível Terra Azul?!

TEMA

A edição de 2018 sob o tema “A vibração da luz” trouxe a reflexão de que vibração é vida e vida é luz! Quem vibra na frequência da luz, emana amor e cura para o mundo!

Em mais uma edição, o festival utilizou da geometria sagrada na decoração para sintonizar e ancorar a energia emanada pelas hierarquias de luzNo centro do palco principal, havia quatro figuras geométricas contendo a flor da vida, que é um importante símbolo relacionado a linguagem da luz:
                                                      Fotografia: Rodrigo Della Favera

Espaços do festival

Na frente de cada stage havia uma placa gigante contendo o line-up completo, com todas as apresentações, assim como todos os horários das vivências e terapias, o que facilitava bastante a vida para todos se programarem e aproveitarem seus projetos favoritos.

Fotografia: Rodrigo Della Favera

1. PALCO ARAUCÁRIA (Main Stage )

A tenda foi montada em bioconstrução pela equipe Arte Astral, em tons de roxo, azul e verde.

No fundo do palco, havia uma mandala lindíssima simbolizando a integração e harmonia entre artista e público.

Fotografias: Rodrigo Della FaveraIsabela Leite.

O line-up do palco principal contou com 43 apresentações, sendo 24 DJ Sets e 19 lives distribuídos em 26h de Full on, 15h de Night,  8h de Progressive, 6h de Forest, 4:30h de Dark Progressive e 1h de Goa.

No fundo da pista havia um mural gigante de madeira que simulava um porta retrato onde era possível tirar fotos com o main floor como plano de fundo. Muito legal e lúdico, da uma olhada:

Eu e meus amigos no mainfloor.

Apresentações de destaque

Depois da apresentação de Kadu L. (Arte Astral), que inaugurou o palco após a cerimônia de abertura, rolou o set do Merkkurio, que teve a oportunidade de se apresentar após ter levado para casa o troféu de 2º lugar do Circuito Psychedelic Trance e não decepcionou!

Merkkurio | Fotografia: Rodrigo Della Favera &  Ana Quesado.

E na sequência, rolou o live super esperado de Kadum versus Alien Chaos.  Foi insano!

Já no amanhecer, saudamos o sol ao som do Psychowave que foi o único representante do Goa Trance no festival em um live especial regado à muitas melodias! O dia não poderia ter começado de forma melhor!

Natan Bueno  (Psychowave) |  Fotografia:  Rodrigo Gomes.

No fim da tarde, tivemos o prazer de curtir o projeto de Full On, Yagé, que é composto pelo live vocal da querida Raghini, com sua voz angelical e sua flauta, ao lado de Ninad, no comando das CDJ’s e a guitarra. Nos concederam uma experiência sonora maravilhosa!

Yagé (Ninad + Raghini) | Fotografia: Isabela Leite.

Após o Yagé, rolou o set do Tchow que trouxe uma atmosfera bem gostosa de groove para a pista. Representando o Full On Night do dia, tivemos o Tera em um live super eletrizante.

Na sequência fomos surpreendidos por algo que eu nunca havia presenciado: Kyran Ashram, o artista que encenava a intervenção artística de malabares em cima do palco, assumiu as CDJs após a performance, juntamente com o grupo Circoloko Alucinações e a sonzeira comeu solta!  O projeto se chama Allientech e foi de tirar o chapéu! Ótima junção de arte com psicodelia!

Allientech |  Fotografia: Rodrigo Della Favera

Após a madrugada de sons noturnos, rolou a parada de renovação para galera dar aquela descansada necessária. Com a reabertura do palco no amanhecer do sábado, foi a vez do Prog Dark mostrar a sua força com o live do Stanke como destaque.

Após, deu-se início às apresentações de Full On com o Titicow e foi o melhor set dele que assisti até hoje.

Na sequência, rolou o warm up para o Ajja com o set do Jhou, idealizador do festival, que mandou super bem e aqueceu a pista para o live mais aguardado do evento.

Jhou | Fotografia:  Rodrigo Gomes.

O incrível Ajja comemorou seu aniversário durante o festival mas nós que ganhamos o presente, pois a apresentação foi de cair o queixo e durou 4.30 h em sua totalidade, pois o produtor substituiu o Justin Chaos que não pôde tocar na hora escalada por motivos de saúde e tocou depois. Sem sombra de dúvidas, foi o ponto alto do festival! Fico arrepiada só de lembrar!

Ajja |  Fotografia: Ana Quesado.

O dia estava lindo e saudamos o início da tarde com o progressive da Luana Cherry, esbanjando a energia cativante de sempre, e seguida pela sonzeira do holandês Liftshift.

Luana Cherry | Fotografia: Rodrigo Della Favera.

No início da madrugada, o night de alta qualidade dos projetos Diksha e Purist manteve a pista animadíssima.

Diksha/Syncronic | Fotografia: Rodrigo Della Favera.

Aclamado nos festivais por onde passa, Elowins representou o forest com maestria na sequência.

Na tarde do domingo, o destaque vai para Rica Amaral que simplesmente deu uma surra de psicodelia e melodia na pista! Foi fantástico o long set dele!

Rica Amaral | Fotografia: Rodrigo Della Favera.

Mostrando que as vivências do Trance podem transformar a vida de pessoas de todas as idades que sejam capazes de deixar de lado seus preconceitos, queria compartilhar com vocês o caso da Glaice. Ela é a mãe da minha melhor amiga e compareceu ao Terra Azul pela segunda vez. Ela amou! Segundo ela, o festival é “Um evento simplesmente imperdível que todos deveriam conhecer”.

Glaice | Fotografia: Karina Rocio.

2. PALCO GRALHA AZUL (Alternative Stage)

Palco alternativo | Fotografia: Rodrigo Gomes.

No caminho para o palco alternativo, tinha várias atracões artísticas. Se você estava indo desde o mainfloor até o Gralha, era necessário passar por um portal repleto de filtros dos sonhos enormes:

Fotografias: Karina Rocio; Rodrigo Gomes.

Logo após o portal, em meio das araucárias, havia uma escultura gigantesca construída de bioconstrução com o uso de materiais como pallets, garrafões de água, vegetação e bambu:

Fotografia: Rodrigo Della Favera.

A tenda também foi montada em bioconstrução pela equipe Arte Astral.

Na frente do palco estava a representação do guardião que foi construído a partir de bioconstrução. Adorei!

Guardião | Fotografia: Rodrigo Gomes.

E aproveito para comentar que nenhuma parte do festival deixou de ser decorada. Havia arte até dentro do lago que ficava do lado do Chillas! :

Fotografia: Karina Rocío.

Nessa edição, o line-up do palco Gralha Azul contou com 32 apresentações, sendo 18 DJ Sets, 04 lives, 08 bandas e 1 MC.

Na noite da sexta-feira, destaco o projeto de Chill Out do Yagé em que tivemos o privilégio de ouvir mais uma vez a belissima voz de Raghini. No cair da noite, esfriou e em razão disso acenderam uma fogueira que tornou o ambiente super aconchegante!

Na manhã do sábado, fomos presenteados por um set maravilhoso do Sallun que faz parte do grupo Pedra Branca e Global Koma.

 Luciano Sallun | Fotografia: Ana Quesado.

Na tarde do Sábado, foi a vez da banda de reggae Chama Crescente emocionar a galera que estava presente no Chillas! Com letras carregadas de sentimento, muita gente se rendeu às lagrimas.

Banda Chama Crescente |  Fotografia: Rodrigo Della Favera.

A noite, rolou a banda Notivagos que mescla de uma forma super autêntica os ritmos Reggae, Rap, Funk e Soul.

Banda Notívagos |  Fotografia: Rodrigo Della Favera.

No domingo, o destaque vai para o Rica Amaral que mandou aquela sonzeira cigana que tanto amamos.

Pista durante o set do Rica Amaral  |  Fotografia: Rodrigo Della Favera.

Banda Trinca Ferro | Fotografia: Ana Quesado.

  1. ESPAÇO DE CURA

    Espaço de cura | Fotografia: Rodrigo Della Favera.

É tanto amor que tenho por essa tenda da cura! Só de se aproximar já era possível sentir a energia elevada desse espaço maravilhoso! Dentre as terapias holísticas ofertadas, havia atendimento terapêutico de Ayurveda, massagem xamânica, reiki, radiestesia, jornada de cura xamânica com medicinas sagradas, etc.

Algo que me chamou a atenção é que nessa edição havia terapeutas que indicavam aos pacientes qual a melhor terapia a ser aplicada, de forma que os atendimentos eram feitos conforme a necessidade de cada pessoa.

Na sexta-feira às 10h e no domingo as 13:30h rolou a oficina de Yoga em dupla ministrada por Guto Ehlert e Natalia Campos.

Aula de yoga em dupla | Fotografia: Rodrigo Gomes.

Kundalini Yoga ministrado por July Hersel | Fotografia: Rodrigo Della Favera.

Alinhamento de chackras com cristais | Fotografia: Rodrigo Gomes.

Kundalini Yoga ministrado por July Hersel | Fotografia: Rodrigo Gomes.

Roda de conversa sobre Numerologia Tântrica com July Hessel  | Fotografia: Ana Quesado.

4. JARDIM DE IDEIAS

Fotografia: Rodrigo Della Favera.

Esse stage estava localizado ao lado do Palco Araucária e nele era possível expandir a consciência através de palestras, exposições, cinema e uma galeria de artes com imagens psicodélicas, pinturas com referencias ao iluminismo, gravuras tridimensionais, biblioteca visionária, poesias, etc.

Fotografia: Rodrigo Della Favera.

O destaque do Jardim vai para as exposições fotográficas, onde cada artista expôs suas melhores fotos repletas de sensibilidade!

Poema de autoria do Caco | Fotografia: Rodrigo Della Favera ; Rodrigo Gomes.

Na biblioteca visionária, era possível ler livros como o “Festa infinita – O entorpecente mundo das raves” escrito por Tomas Chiaverini onde o autor narra de forma dinâmica uma festa do começo ao fim.

Fotografia: Rodrigo Gomes.

5. ESPAÇO PINHÃOZINHO  (Kids Stage)

Fotografia: Rodrigo Della Favera

A receptividade à participação de crianças é uma das características do festival, onde sempre podem se ver diversas famílias com seus pequenos.

Psyfamilies! | Fotografias: Rodrigo Della Favera & Ana QuesadoRodrigo Gomes; Fernando Franco.

Havia atividades para todas as faixas etárias sendo realizadas de 09:30h as 22h na Sexta/Sábado e das 09:30h as 17h no Domingo.

A supervisão e as oficinas foram ministradas pelos projetos Criadores de Perspectivas para crianças de 0 a 4 anos e Coletivo Prajah para crianças e adolescentes de 5 a 17 anos.

Espaço Kids do Terra Azul 2018 | Fotografia:  In Orbit – Fernando Franco.

Dentre as atividades, rolou a “torta na cara” que começava com uma contação de historias, na qual as crianças que erravam as perguntas sobre o conto levavam tortada umas das outras.

Destaco a “caça dos cristais” na qual foram escondidos diversas pedras e cristais nas áreas próximas do espaço e durante a busca haviam guardiões. As crianças amaram!

O festival estava lindo cheio de crianças! Aproveito para destacar que teve até neném dando os seus primeiros passos no main floor! A cristal Isabela, filha de Mylaine e Julio Brum que é o idealizador do núcleo Bora Psicodelizar, responsável por festas como Dark City, Rajani, Yin Yang, dentre outras. Tive o prazer de avistar esse momento e fiquei pensando no quão emocionante deve ter sido para os papais do Trance presenciar a filha aprendendo a andar em um festival!

Julio e a pequena IsabelaFotografias: Rodrigo Della Favera.

INTERVENÇÕES ARTÍSTICAS

Fotografias: Rodrigo Della Favera

Nessa edição, a maioria das maquiagens dos artistas foi feita pela talentosa Shaiane Trevisan que com sua arte na pele encantou a todos.

Destaco as apresentações de  Circoloko Alucinações e a pirofagia, que foi fantástica, simplesmente um show à parte!

Intervenções  | Fotografias: Rodrigo Della Favera & Ana QuesadoRodrigo Gomes.

O projeto de dança Wakanda idealizado por Caroline Borcate que ja vem se destacando por onde passa apresentou três performances espetaculares no festival:

A 1ª foi na noite da sexta-feira na qual houve a participação de João Ubaldo. A performance foi criada a partir do tema “LSD” com a pintura corporal da dançarina (em tinta neon) e os movimentos representando a viagem psicodélica, visual e sensorial do dançarino.

Maquiagem realizada por Afrodayt Make |  Fotografia: Rodrigo Della Favera.

Já a 2ª foi na manhã do sábado criada para retratar um lado diferente do mal com a representação de um fauno que foi criado sem amor e em razão disso se tornou um ser rude. Com o passar do tempo, ele percebe que esse comportamento o prejudica e decide se purificar (nesse momento a artista utilizou incensos em um defumador para a limpeza energética de si mesma e da pista).

Maquiagem realizada por Afrodayt Make | Fotografia:  Ana Quesado

Por fim, a 3ª foi na manhã do domingo criada para mostrar o lado bom dos seres com a representação de uma fada que foi criada com carinho e se tornou um ser que exala luz.

Fotografia: Rodrigo Della Favera.

O fauno e a fada trazem a reflexão do bem versus o mal pois até mesmo os seres místicos vivenciam essa dualidade.

Live painting realizado por Mariana Kloss: Vôo de uma gralha azul segurando no bico a terra azul |  Fotografia: Isabela Leite 

BAR

Nos bares, a equipe era sempre simpática e as bebidas estavam sempre geladas! Destaque para os licores deliciosos de diversos sabores e vinho tinto por apenas R$ 10 e para os chopps! Amei essas novas opções!

Fotografia: Rodrigo Gomes

PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO

A praça continha inúmeras opções, como macarronada, caldo, salgados, prato feito, pastel, misto quente, sorvete, açaí, hamburguer, yakissoba além de opções veganas e vegetarianas.

Não vou opinar sobre os preços da alimentação, pois para economizar, preferi levar minhas pro prias refeiçoes e preparar na cozinha comunitária.

Em diversos momentos, era possível se alimentar curtindo uma boa música ao vivo na praça!

Fotografias: Rodrigo Gomes

AÇÃO SOCIAL

Na sexta-feira rolou algo super legal! A Apabb (PR) realizou um Encontro de Famílias (ENFA) diferente e participou do festival. Além de curtirem o som, eles visitaram o Jardim de Idéias com a exposição de artes e pinturas, assistiram palestra sobre meio ambiente e plantaram novas mudas de araucárias.

Fotografia: Rodrigo Della Favera.

Foi lindo de se ver as pessoas portadoras de deficiências e necessidades especiais aproveitando o festival com um sorriso no rosto. “Normal é ser feliz”!

Fotografias: Rodrigo Della Favera.

MINI DOCUMENTÁRIO TERRA AZUL: 8 anos de história

Para mais detalhes dessa edição histórica e conhecer a  visão que os artistas,  o público e organização tem sobre o festival, assista o mini documentário que acabou de ser criado pela  Organic Filmes.  Aqui você encontrará a revelação de conceitos importantes que estão inseridos nos princípios do festival e que guiam a jornada do Terra Azul, que já dura 8 anos!

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Espero ter conseguido traduzir a emoção e o enorme privilégio de ter feito parte desse festival que mora no meu coração.

Recomendo a todas as pessoas que se deem a oportunidade de estarem presentes nesse evento incrível pelo menos uma vez pois com certeza também irão se apaixonar!!

Até 2019, Terra Azul !

Fotografias: Rodrigo Della Favera.

 

1
Deixe um comentário

Please Login to comment
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Jéssy Agner Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Jéssy Agner
Membro
Jéssy Agner

Super resenha Danni!!!!
Terra Azul foi lindo demais. Minha maior alegria foram as 4:30hrs de Dark Prog no sábado, obrigada produção!!!! (Realmente o live do Stancke foi o mais foda).
Chillas maravilhoso, lindo…. Obrigada chama crescente por trazer a presença de Deus em nosso meio.

Estou ansiosa pelo próximo terra azul ❤️

keyboard_arrow_up